Site Overlay

Ansiedade

Vamos falar sobre ansiedade? Quais os sintomas de uma pessoa ansiosa e como reconhecer a sensação em nossos comportamentos cotidianos?

Em uma sociedade exigente, com grande velocidade das informações, a ansiedade aparece como um sintoma cada vez mais frequente. E o Brasil é o país com a maior taxa de pessoas com transtornos de ansiedade. 

Crise de ansiedade

E agora? Como lidar com uma crise de ansiedade?

O primeiro ponto a debater é compreender se o que estamos sentindo é realmente ansiedade ou alguma outra emoção ou sentimento. Sentir um certo anseio em relação a algo é natural, e nem sempre isso irá despertar em uma crise. 

Os transtornos de ansiedade estão relacionados a uma preocupação, medo e nervoso de que algo possa ou não acontecer.

Dessa forma, o sentimento é uma resposta do corpo a algo exterior que não podemos controlar. Saber disso é importante para lidar melhor com os sintomas da ansiedade. Isso porque a ansiedade pode ser tão intensa a ponto de nos paralisar.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que o número de pessoas que sofrem de transtorno de ansiedade no mundo pode ultrapassar a marca de 300 milhões de indivíduos nos próximos anos.

É natural ter certa dose de ansiedade em situações do cotidiano, como por exemplo uma tarefa importante que temos prazo para cumprir, algum evento a muito tempo aguardado, uma entrevista de emprego, um encontro amoroso, um exame médico importante ou uma prova na faculdade.

É preciso deixar claro que existe um universo de possibilidades entre um sentimento corriqueiro para crises de ansiedade e pessoas que de fato desenvolvem um transtorno psicológico mais grave.

Ansiedade: sintomas

Entenda o que a ansiedade pode causar no corpo.

Para você fazer uma breve reflexão e um teste sobre uma possível crise de ansiedade, elencamos abaixo alguns dos sintomas — físicos e mentais, mais comuns de quem sofre do transtorno:

  1. Agitação
  2. Boca seca e paladar sensível
  3. Dificuldade de concentração
  4. Enchaqueca
  5. Dor de estômago
  6. Enjoo e ânsia de vômito
  7. Fala acelerada
  8. Falta de ar e respiração ofegante
  9. Insônia
  10. Irritabilidade
  11. Sensação de que vai morrer
  12. Palpitação e dor no peito
  13. Pensamentos difusos
  14. Preocupação exagerada
  15. Sentimento de que algo ruim possa acontecer
  16. Suor nas mãos
  17. Tensão muscular e dores no corpo
  18. Tremedeira descontrolada
  19. Tontura
  20. Vontade de roer as unhas ou fumar compulsivamente

Fique atento a qualquer sinal mais intenso desses sintomas, especialmente se tais comportamentos atrapalham suas tarefas diárias. Busque ajuda de um profissional da saúde mental assim que possível.

Convido você assistir vídeo do psicanalista Christian Dunker acerca do transtorno do espectro de ansiedade:

 

O psicanalista cita estudo recente sobre a epidemiologia de saúde mental em São Paulo que aponta que de 5% a 10% da população sofre em algum grau do transtorno.

Vale lembrar que o Brasil tem o maior índice de pessoas com o transtorno no mundo. Segundo a OMS, o país possui aproximadamente 19 milhões de pessoas com a doença.

A situação piorou durante a pandemia. Uma pesquisa da UFRS aponta que 80% população tornou-se mais ansiosa durante este período, enquanto a média em alguns países é de 30%.

Por que sentimos ansiedade

É bom deixar claro, como já elencamos no início do artigo, que a causa da ansiedade é uma reação natural do corpo e de nosso estado mental em relação a acontecimentos futuros. 

Aliás, um certo nível de ansiedade foi importante para o processo evolutivo da humanidade. Afinal, ao preocupar-se com as incertezas da sobrevivência, o homem primitivo aumentou a chance de sobreviver no planeta.

Certamente existe um limiar entre um estado de ansiedade benéfico ao sujeito que obviamente sofre dos malefícios desse sintoma, que desloca e paralisa o sujeito.

Portanto, é importante conhecer as reações que você tem diante de eventos futuros. Caso um simples almoço, uma reunião corriqueira no condomínio ou uma viagem de final de semana já lhe causam um estado ansioso, é bom procurar ajuda de um psicólogo ou psicanalista.

Os tipos de ansiedade

Podemos classificar o estado ansioso em três tipos de ansiedade:

  • Ansiedade generalizada

O transtorno de ansiedade generalizada (TAG) é uma preocupação demasiada aliada a um estado de stress. Ocorre quando qualquer evento já lhe causa uma sensação ruim e atrapalhe atividades simples.

  • Fobia social

A fobia social é bastante comum, e manifesta-se geralmente quando o sujeito encontra-se diante de outras pessoas. A fobia social pode desenvolver-se com outros tipos de fobia, como a claustrofobia (medo de locais fechados) e a agorafobia (medo de ficar sozinho em locais públicos).

  • Síndrome do pânico

A síndrome do pânico é também um transtorno do espectro de ansiedade. Muitas pessoas sentem uma sensação muito forte como se estivessem tendo um ataque do coração.

  • Transtorno obsessivo-compulsivo

O transtorno obsessivo-compulsivo é conhecido pela sigla TOC. Possui diversos graus e pode desenvolver-se como um distúrbio psiquiátrico. O indivíduo desenvolve uma culpa e medo de perder o controle de uma situação ou ser responsável pelo acontecimento de algo terrível. 

  • Stress pós-traumático

O transtorno de estresse pós-traumático é também conhecido pela sigla TEPT. É um transtorno do espectro de ansiedade ocasionado por um evento traumático no qual o sujeito enfrenta situação de intensa tristeza e angústia.

Teste de ansiedade

Quer saber se você tem ansiedade? Existem testes que facilitam o diagnóstico. Um deles é o teste científico Generalized Anxiety Disorder – GAD-7. 

 

View this post on Instagram

 

A post shared by Renato Cambraia (@rcambraia)

Faça o teste gratuitamente desenvolvido pelos médicos Dr. Robert L. Spitzer, Dra. Janet B.W. Williams, Dr. Kurt Kroenke e colegas, com um subsídio educacional da Pfizer Inc.

teste de ansiedade
Teste GAD-7 por Sptizer, et. al.

O teste é calculado atribuindo pontuações de 0, 1, 2 e 3, para todas as perguntas “nenhuma vez”, “vários dias”, “mais da metade dos dias” e “quase todos os dias”.

Dessa forma, a pontuação total do GAD-7 para os sete itens varia de 0 a 21.

Pontuações de 5, 10 e 15 representam pontos de corte para ansiedade leve, moderada e grave, respectivamente.

No entanto, projetado principalmente como uma medida de triagem e gravidade para transtorno de ansiedade generalizada, o GAD-7 também tem características operacionais moderadamente boas para crise do pânico,fobia social e estresse pós-traumático. 

Como diminuir os sintomas

É possível tratar e controlar o transtorno do espectro de ansiedade sem remédios. Para isso, procure ter um estilo de vida mais saudável, pratique esportes e busque atividades lúdicas.

A combinação de uma vida leve e saudável são aliados que ajudam a diminuir os sintomas.

Conclusão

Por fim, a conclusão é que os sintomas do transtorno do espectro de ansiedade são diversos e variados. Nem toda sensação denota algo grave.

Entretanto, caso você sinta que os sintomas mencionados atrapalham a sua vida profissional, amorosa ou social, busque uma ajuda especializada. É a melhor forma de tratar esse que é considerado o mal do século.

Sim, é possível curar-se apenas com psicoterapia e análise pessoal, sem a necessidade de medicação.

Portanto, para lidar com a ansiedade e outros sentimentos que fazem você sofrer, a ajuda de um profissional psicólogo ou psicanalista é importante para falar sobre o que te incomoda e juntos encontrarem possibilidades de lidar com isso.

Marque uma entrevista inicial sem custo. Juntos podemos lidar melhor com a ansiedade.

1 thought on “Ansiedade

Comments are closed.

Copyright © 2021 Clínica psicanalítica. All Rights Reserved. | Intuitive by Catch Themes